terça-feira, 21 de março de 2017

Em Mim Vês A Estação Em Que Se Inclina

 
Em mim vês a estação em que se inclina
a folhagem sem cor, já pouca, em ramos,
lá onde os frios claustros são ruína
e os pássaros tardios escutamos.
Em mim vês lusco-fusco de tal dia,
quando a oeste o sol se queda mudo
e a noite a pouco e pouco o abrevia,
segundo ser da morte a selar tudo.
Em mim vês que esse fogo bruxuleia,
cinza da juventude que caiu,
como o leito de morte em que se alheia,
onde o consome o que antes o nutriu.
Isto vês, para amar mais te fazer
amar bem o que em breve vais perder.
 
William Shakespeare
 

sexta-feira, 17 de março de 2017

[Divulgação] Encontra-me; de J. S. Monroe

Dia 1 preparem-se para outro grande thriller

Título: Encontra-me
Título Original: Find Me
Autor: J. S. Monroe
Chancela: HARPERCOLLINS
Grupo Editorial: HarperCollins Ibérica
Número de Páginas: 352





Antes que eles me encontrem.






Há cinco anos, Rosa percorreu o cais em plena noite, contemplou a água escura e turbulenta e saltou. Era uma jovem brilhante que estudava em Cambridge e acabava de perder o pai.
A sua morte foi trágica, mas não inesperada.
Foi realmente isso que aconteceu? As investigações determinaram que sim, mas Jar, o namorado de Rosa, não se dá por vencido.
Vê Rosa em todo o lado: vislumbra o seu rosto no comboio, julga distinguir a sua figura na falésia. Está obcecado pelo desejo de demonstrar que continua viva.
E eis que recebe um e-mail: Encontra-me, Jar. Encontra-me antes que eles me encontrem.
Mas Rosa terá realmente morrido? E se morreu, quem anda a brincar com os seus entes queridos?

‘’O thriller mais engenhoso que teremos este ano. Fui incapaz de o largar.’’
M. J. Arlidge
 
‘’Um thriller intricado como um quebra-cabeças, simultaneamente romântico e aterrador.’’
Lucie Whitehouse
 
‘’Belissimamente escrito e urdido por uma mão experiente (…). Uma leitura sedutora e absolutamente arrepiante.’’
Owen Laukkanen
 
‘’Um livro apaixonante que nos mantém acordados até bem depois da meia-noite.’’
Alice LaPlante
 
‘’Uma história complexa e impactante na qual a ciência e a política se entrecruzam com casos de desaparecimentos por resolver.’’
Caroline Keynes

Sobre o autor:
J. S. Monroe estudou Língua Inglesa em Cambridge foi jornalista independente, além de colaboradorna Radio 4 da BBC. Autor de cinco romances anteriores, foi correspondente em Nova Deli e editor do suplemento de fim-de-semana do Daily Telegraph.
 

[Divulgação] Tempo de Dizer Adeus; de S. D. Robertson

Título: Tempo de Dizer Adeus
Título Original: Time to Say Goodbye
Autor: S. D. Robertson
Chancela: HARPERCOLLINS
Grupo Editorial: HarperCollins Ibérica
Número de Páginas: 320
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Como abandonas a pessoa que mais amas?
Com seis anos, Ella, a filha de Will Curtis, sabe que o pai nunca a abandonará.
Afinal, ele prometera-lho quando a mãe morrera.
E fará tudo o que lhe for possível para manter a sua palavra.
O que Will não sabe é que a promessa que fez à filha pode ser mais difícil de cumprir do que imaginava.
Quando confrontado com uma decisão impossível, Will descobre que a opção mais óbvia pode não ser a correta.
Mas o futuro está cheio de surpresas inesperadas.
E pai e filha estão prestes a embarcar juntos numa viagem inesquecível.
 
‘’Convincente e com cenas que o farão dar algumas gargalhadas.’’
The Sun
 
‘’É um desses livros especiais cuja leitura lhe deixará uma marca para toda a vida.’’
Compelling Reads
 
‘’Uma história agridoce, que leva a refletir sobre o amor e os laços que unem os pais e os filhos.’’
Lovereading
 
‘’Uma história bonita, muito comovente e bem escrita, sobre o amor de um pai pela filha.’’
ireadnovels
 
Sobre o autor:
S. D. Robertson formou-se na Universidade de Manchester, trabalhou como vendedor porta-a-porta, limpou comboios, lavou loiça em restaurantes, foi técnico de rede de telemóveis e coordenador de férias. Stuart viveu em países tão diferentes como a França, a Holanda ou a Austrália, mas, atualmente, reside no Reino Unido. Vive numa pequena cidade perto de Manchester com a esposa e a filha. Também tem um gato, Bernard, que gosta de distraí-lo partindo coisas quando está a escrever.

[Divulgação] Lady Midnight; de Cassandra Clare

Título: Lady Midnight
Título Original: Lady Midnight
Autora: Cassandra Clarke
Série: Trilogia Os Artifícios Negros
Volume:
Chancela: Planeta Manuscrito
Grupo Editorial: Grupo Planeta
Número de Páginas: 656
 
 
 
 
Num reino à beira-mar…
 
 
 
 
Passaram cinco anos desde que o mundo dos Caçadores de Sombras esteve à beira da extinção. Emma Carstairs já não é a mesma criança de luto, mas uma jovem guerreira determinada a descobrir quem matou os pais e a vingar a sua perda.
Ao lado do seu parabatai, Julian Blackthorn, Emma terá de seguir o rasto de um assassino demoníaco nas ruas agitadas de Los Angeles e no mar encantado das praias de Santa Monica, onde o amor é uma ameaça tão grande como o ódio do seu pior adversário.
Para tornar tudo ainda mais complicado, o irmão de Julian, Mark – levado pela Caçada Selvagem há cinco anos – é devolvido à família como moeda de troca. As faeries estão desesperadas por descobrir quem anda a matar os seus e precisam da ajuda dos Caçadores de Sombras. Só que o tempo, em Faerie, flui de maneira diferente, e Mark mal envelheceu e não reconhece os irmãos. Conseguirá Mark ajudá-los e regressar ao seio da família? Ou será o apelo da Caçada Selvagem mais forte do que o próprio sangue?
Lady Midnight é o primeiro volume da saga Os Artifícios Negros, de Cassandra Clare, uma aventura vertiginosa pelos caminhos tortuosos de uma vingança ancestral a que só o mais intrépido Caçador de Sombras conseguirá fazer face.
 
‘’Mergulhe em Lady Midnight e ficará rodeado de personagens que o manterão acordado durante a noite, um enredo de mistério e uma história de amor não correspondido que lhe partirá o coração’’
Jodi Picoult
 
‘’A atmosfera onde se encontra Clare está influenciada, em partes iguais, pelo terror gótico e a tendência para a fantasia moderna de Neil Giam. Os mais fervorosos fãs de terror, de que o exemplo máximo é Buffy, a Caçadora de Vampiros, ficarão rendidos perante esta série.’’
Publishers Weekly
 
‘’Divertida, obscura e sexy. Um dos meus livros preferidos.’’
Holly Black
 
Sobre a autora:
Cassandra Clare nasceu no Irão e passou os primeiros anos a viajar pelo mundo com a família e vários baús cheios de livros de fantasia, entre os quais As Crónicas de Nárnia. Mais tarde, trabalhou como jornalista em Los Angeles e Nova Iorque. Cassandra Clarke vive em Massachusetts com o marido, os gatos e ainda mais livros.

terça-feira, 14 de março de 2017

87ª Feira do Livro [Sessões de Autógrafos]

 
Olá, só para vos avisar que no passado dia 5 a TOPSELLER, chancela do grupo editorial 20|20 Editora, confirmou a vinda da autora Paula Hawkins à 87ª Feira do Livro de Lisboa, nos dias 11 e 12 de Junho (Sábado e Domingo, respectivamente), por isso já sabem marquem nas vossas agendas. Quando souber as horas aviso. ;)

segunda-feira, 13 de março de 2017

A Bela e o Monstro [O Filme] [Curiosidades]

Esta semana estreia nas salas de cinema o live-action A Bela e o Monstro (Beauty and the Beast), e apesar do blog não abordar a séptima arte, era impossível não referenciar o filme com a Princesa Disney com maior paixão pela leitura. Duvido que ainda não tenham visto o trailer, mas mesmo assim…
 
 
Para quem, como eu, infelizmente, não pode ir assistir, também para quem pode, deixo aqui uns extras…
 
Se ainda não viram o clássico da literatura adaptado pela Walt Disney em 1991, não percam tempo em o fazer, podem comprar o DVD ou optar por procurá-lo na Internet. Antes do filme ter chegado ás salas de cinema sofreu algumas tentativas de adaptação pela Disney, mas todas falharam até à de 1991, a música ‘’Be Our Guest’’ foi criada originalmente para ser cantada ao pai de Belle, mas como esta era demasiada boa ‘’passou’’ para a filha, no final do filme, quando Gaston cai no penhasco é possível observar pequenas caveiras na sua íris, entre outras curiosidades…
 
Quem quiser ter uma ideia de como será esta nova versão basta ler o livro A Bela e o Monstro (Beauty and the Beast Novellization) editado no passado mês de Fevereiro pela Dom Quixote, chancela do Grupo Leya.
 
E para os verdadeiros adeptos e fãs de merchandising, aconselho-vos a adquirir o marcador em origami do vestido de baile da Belle, feito cem por cento à mão, da Retro Attic.
 
 
 
Agora um pouco mais relacionado com a literatura…
 
A Bela e o Monstro, originalmente escrito pelo francês Gabrille-Suzanne Bardot de Villeneuve (1685-1755), trata-se de um conto infantil, múltiplas vezes adaptado por outros autores e fonte de inspiração para muitos mais.
 
A versão original inclui as origens dos protagonistas, Belle, na verdade, trata-se de uma fada boa e o Monstro de um príncipe órfão de pai que em adulto é seduzido por uma fada maléfica, só que este não cede e a fada amaldiçoa-o.
 
Espero ter-vos aguçado a curiosidade e levar-vos a pesquisaram um pouco mais. ;)

domingo, 12 de março de 2017

Coisas de Livrólico [É Carnaval!... Ninguém Leva a Mal...]

Chegou o Carnaval!!!
 
E ao final de tantos anos voltei a lembrar-me de como me mascarar é engraçado! Tanta cor. Tanta folia. Tanta diversão! E no final, ideias para disfarce, zero… -_-
 
Por mais fontes inspirações que hajam à nossa volta, a nossa imaginação falha sempre naquele momento crítico e necessário...
 
Ideia com direito a lâmpada!!!
 
Porquê não mascarar-me daquilo que sou todos os dias do ano? Livrólica!
 
No Domingo de Carnaval vesti a minha roupa normal, levei um livro comigo para todo o lado, como de costume, e dei uso ao menino aqui de lado e lá fui eu, como o Super-Homem à vista de todos em formato Clark Kent. XD
 
A Terça de Carnaval foi um pouco diferente, devo agradecer ao autor Isaac Marion pela inspiração que a sua personagem, R, do livro Sangue Quente, cara pálida, grandes olheiras, um pouco de sangue aqui e ali e roupas rasgadas, e está feito. XD
 
Quem disse que a literatura não inspira mentes?
 
E vocês, também vestem o Carnaval na pele? ;)

sábado, 11 de março de 2017

Conversa do Chá das Cinco: Arte-Terapia

Olá, hoje venho falar-vos de uma das minhas ramificações no mundo dos livros, a arte-terapia.
 
Não sou uma pessoa muito adepta de modas, e quando a arte-terapia entrou na ‘’berra’’ em Portugal cheguei a criticar. Isso mudou. Depois de experimentar pela primeira vez arrependi-me de o ter feito.
 
Hoje em dia existem variantes da arte-terapia muito interessantes, Arte-Terapia, em que só se colorem desenhos, Pintar por Números, Pintar por Padrões e Ligar Pontos. Eu só practico Arte-Terapia, não devia… :/
 
Depois de ouvir falar neste ‘’fenómeno’’, um dia, vi uma revista num supermercado, gostei tanto dos desenhos que acabei por a trazer comigo, uns dias depois fui de férias, levei os lápis de cor da minha irmã, experimentei, e adorei! ^_^
 
Para mim esta só traz benefícios, sou uma pessoa muito nervosa e apesar de demorar muito tempo a pintar, quando pinto sinto-me acalmar, só penso na beleza do desenho, na cor que irei usar a seguir, nos contrastes e em como ficará o resultado final.
 
É um bom ‘’vício’’, pelo menos não é tão caro quanto fumar ou pastilhas XD. Para os mais sedentários é um entretem mais complexo do que olhar para um ecrã o dia inteiro, e sempre se exercita um pouco os braços e ajuda a ter uma mão firme.
 
Apesar de ser mais barato que fumar ou beber um café, há que admitir que um livro de arte-terapia é bastante dispendioso, pelo menos para mim. Por isso, queria deixar aqui algumas sugestões de como a practicar gastando muito pouco ou quase nada: se pesquisaram na Internet ‘’Art Therapy Colouring Book’’ irão encontrar os mais variados desenhos e depois basta imprimi-los, ou podem optar por procurar nas bancas revistas de arte-terapia, costumam sair mais económicas do que os livros, são editadas com algum espaçamento entre edições e sempre se pode ser mais selectivo com os volumes que são de nosso interesse.
 
Quanto aos materiais de pintura, não precisam de ser os mais caros ou melhores do mercado, basta uma caixa de lápis ‘’marca branca’’, o resulta final só dependerá do carinho que pomos no nosso trabalho. ;)
 
Por último queria aconselhar-vos a adoptar as revistas da PUZ, nomeadamente as NUD. E vocês perguntam Porquê!? Para além desta empresa editar revistas com ilustrações nacionais exclusivas, as Color Zen, também têm edições de cariz solidário, de apoio a instituições como a LAÇO e a APSA, em que uma percentagem dos lucros reverte a favor dessas instituições, e se podermos ajudar outros com a nossa paixão, porquê não!?
 
Espero que tenham gostado. :)

sábado, 4 de março de 2017

[Novidades] Saga A Guardiã; de Ana Kandsmar

OMG! OMG! OMG!
 
Desculpem mas andei uns dias a conter-me para vos contar as boas novas!
 
Hoje venho aqui partilhar as mais recentes novidades sobre as obras, sim, obras!, da autora Ana Kandsmar.
 
A Guardiã – O Livro de Jade do Céu foi a mais recente leitura do blog, e tanto a opinião esboço como a opinião já se encontram no blog.
 
Esta obra, inicialmente publicada pela Capital Books, encontra-se reeditada pelas Edições Mahatma, apesar disso ainda não é possível encontrá-la à venda  nas livrarias, mas isto está prestes a mudar, segundo a BeeDynamic Books, dentro de algum tempo o livro voltará a estar disponível nas livrarias. Para quem o quiser ler (Quem não haveria de querer!?) são grandes notícias.
 
Mas não ficam por aqui!
 
Quem leu o livro sabe que este terminou de forma aberta, mas bastante conclusiva, ou seja, a estória podia ter ficado naquele ponto, só que…
 
''Atravessara o arame farpado da fronteira carregando chapa, parte de um tanque soviético reduzido a ferro velho. Não o fizera por acaso. Ou por vontade própria. Mas essa havia sido a forma de garantir que a guarda paquistanesa lhe permitia deixar para trás, terra afegã. Conseguira por fim, não sem duas ou três bastonadas que o haviam derrubado, obrigando-o a rastejar os poucos metros que faltavam para que a distância dos guardas fosse de segurança.
Guerrilhas, mercenários, corpos irreconhecíveis que se afogam em poças de sangue…Tal como eles, ele também não tivera escolha. Ou tivera? Qual era a alternativa? Afogar-se na sua própria dor, ou em garrafas de whisky barato? Decidira em vez disso, lutar. O lado da luta era-lhe indiferente, desde que lutar lhe desse motivos para continuar vivo. Até que um dia, enquanto contemplava os escombros, a mão de uma criança que não teria mais que 10 anos saiu do meio do entulho de tijolo e cimento. Pedia ajuda. E ele não resistira ao ímpeto mais que humano de ajudá-la. A partir desse momento, ele mudou. Mudou tudo.
Não sabe se viu uma luz. Na verdade, acredita que o preciso momento em que tomou o pequeno nos braços, foi uma espécie de revelação. O miúdo não chorou quando removeu os blocos de cimento que se haviam precipitado sobre o seu corpo e o único sinal que deu quando o soltou da última pedra, foi o que lhe pareceu ser o ténue esboço de um sorriso. Mas que raios, não se mexia. Os olhos permaneciam fechados e quando lhe tomou o pulso, nem sinal de qualquer movimento. Se ainda respirava, fazia-o tão fracamente que parecia ter morrido. Deitou-o sobre os escombros, pressionou-lhe o peito intervalando com a sua boca sobre a dele até fazê-lo tossir, limpando os pulmões e tomando por fim a golfada de oxigénio que o fez retornar à vida. Quando abriu os olhos mostrou uma iris azul celeste, cristalina. Estudou-o o quanto lhe foi possível nos segundos seguintes. O rapazito era franzino. Cabelo louro encaracolado e a pele clara como a de um europeu do norte. Todavia, quando lhe pediu água, falou em árabe, um árabe perfeito, sem sotaque, o que o levou a concluir imediatamente que filho ou não de europeus havia nascido por ali, talvez naquela mesma casa de que agora restava apenas entulho. Deu-lhe da garrafa que trazia à cintura alguns goles para lhe matar a sede e o garoto pressentindo que aquela era a única que lhe restava, parou de sorver o líquido pouco depois de molhar os lábios. Olhou perscrutador o homem à sua frente, a tentar talvez adivinhar-lhe a identidade. E os olhos do seu salvador, recíprocos, tentavam também adivinhar a dele.
-Os teus pais? Sabes onde estão?
O garoto levantou-se. Caminhou dois ou três passos cambaleantes e agachou-se. Dos escombros, resgatou sem esforço uma moldura, cuja fotografia a cores, estava pintalgada de sangue. Entregou-a ao homem.
- Estão mortos.
O salvador do petiz olhou atentamente a imagem. Um casal. Cabelos escuros, olhos escuros, a pele tisnada do sol. No meio de ambos uma criança loura, de olhos azuis. Reconheceu-o de imediato.
-São os teus pais, contigo?
Não lhe respondeu. Não verteu uma lágrima. Em silêncio, tirou a fotografia do centro da moldura e dobrou-a em dois. Enfiou-a no pequeno bolso das calças e deu a mão ao homem convidando-o a acompanhá-lo.
-Hei…como te chamas?
O garoto avançou cautelosamente, pé ante pé sobre os blocos de cimento partido. Em vez de lhe responder devolveu-lhe a pergunta.
-Tu…como te chamas?
-Zahin. Agora diz-me tu o teu nome. Não te faço mal…
-Gabriel.''
 
Pois é!!!
 
A autora Ana Kandsmar publicou recentemente este excerto na sua página de Facebook.
 
A Guardiã – O Livro de Jade do Céu, primeiro livro da saga A Guardiã, vai ter continuação, a autora encontra-se neste momento a escrever o segundo volume da saga e se tudo correr bem ainda este ano estará pronto a ser lido por nós. ^_^
 
O segundo volume chamar-se-á Mar de Deus e contará com pelo menos um dos personagens do livro anterior.
 
Estas foram as novidades, por agora, caso saiba de mais notícias deliciosas eu aviso.
 
Até mais! ;)