quinta-feira, 4 de maio de 2017

A Bela e o Monstro; de Elizabeth Rudnick [Opinião]

🌹 Be my guest
Be my guest
And I take care of the rest! 🌹
 
Sabem quando demoramos mais de uma hora a escrever uma opinião toda pipi e quando o computador reinicia por algum motivo este a apaga, pois, foi o que sucedeu aqui com este insecto, por isso peço desculpa pelo atraso com esta menina. -_-
 
Antes de tudo o mais, este livro ensina uma lição muito importante, não, não me refiro à famosa premissa associada de ‘’o que conta é o interior’’, uma lição que até à cerca de um ano eu achava ridícula e romântizada, por muito diferentes que sejamos de todos os que nos rodeiam e nos sintamos sós, teremos sempre alguém que nos ama apesar dos defeitos que nos vêm. Eu só te posso agradecer por estes últimos meses e dizer que és uma luz que entrou no meu coração, um buraco tão negro no qual ninguém conseguiu penetrar. Amo-te muito.
 
Mais concretamente em relação a esta adaptação do conto, neste livro são narradas as vidas de Bela, uma jovem rapariga que almeja algo mais do que uma vida provinciana e de ignorância e um Monstro que devido a vários factores se tornou nisso mesmo, um monstro, e o encontro de ambos e o como esse encontro os influenciará a eles e aos outros. A autora fez um excelente trabalho na construcção e contextualização histórica, a pontos de me transportar para a época da narrativa, um excelente trabalho também foi levado a cabo pelo tradutor, Luís Serrão, ao traduzir as falas das personagens de acordo com os costumes da época, como o uso do ‘’vós’’.
 
Um dos elementos fulcrais desta estória é reconhecido por todos, a Rosa, esta para além de surgir na capa é um elemento constante na trama pois só esta tem o poder de ‘’decidir’’ o destino dos personagens, sem esquecer o seu simbolismo, uma rosa vermelha é o eterno símbolo do verdadeiro amor.
 
Adorei toda a estória, que se encontra muito bem escrita, gosto de todas as personagens e cada uma conseguiu fazer-me sentir algo, positivo ou negativo conforme a sua personalidade, se tivesse de escolher um momento de que mais gostei sem dúvida nenhuma escolheria ‘’a cena’’ na biblioteca do Castelo.
 
Para quem é muito agarrado à versão da Disney de 1991, este livro e o filme de animação complementam-se na perfeição, além de que a narrativa nos faz gostar ainda mais de todas as personagens, melhora algumas e resolver alguns dos mistérios que ficaram em suspenso na animação, como, ‘’Se existiam um Castelo e um Príncipe, porque nenhuma alminha se lembra deles?’’. Tive momentos em que ouvia as músicas do filme, como quando Bela janta pela primeira vez no Castelo. XD
 
Algo interessante é que este livro fez-me perder um pouco a ideia de Síndrome de Estocolmo que tenho associada ao livro, porque houve um momento em que, de facto, Bela se libertou do seu cativeiro e não tinha barreiras psicológicas induzidas pelo Monstro para ficar.
 
 
A Bela e o Monstro trata-se de um belíssimo conto que continua a encantar gerações e que nunca envelhece, conto um dia poder ler a sua versão original, mas até lá aconselho a todos que possam a o lerem, e a deixar entrar um pouco mais de luz e esperança nos vossos corações. 🌹

Sem comentários:

Enviar um comentário